segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

A síndrome do ninho vazio

Pois é, gente, só na correria do trabalho agora!
Mas tive que fazer esse post pq é algo que está deixando meu coração mto apertado.
Estou mto preocupada com a minha mãe e talvez alguém que já tenha passado por isso possa me ajudar.

Minha mãe teve dois filhos, eu e meu irmão, 6 anos mais velho. Mas ela só parou nos 2 pq teve mtas complicações nas gestações, mas o sonho dela era ter uma casa cheia.

Por isso ela viveu a vida dela em função nossa, parou de trabalhar quando meu irmão nasceu e tornou-se mãe super protetora 24h horas por dia.

Mas aí o tempo passou. Primeiro eu casei. Acredita que ela tenho sofrido com a minha saída de casa, sim. (Mesmo pq até eu, que estava vivendo novos sonhos) sofri com a ausência dela. Mas moramos 5 quarteirões uma da outra, então a dor não foi tão grande assim pq estamos sempre juntas, as vezes até mais do que quando dividíamos o tempo.

Até aí tudo bem.
Só que agora, meu irmão que tinha tudo pra terminar como solteirão pq não aguentava mulher nenhuma começou a namorar e já está planejando o casamento. O problema? A namorada é de Patos de Minas (uns 300km daqui) onde ele trabalha e o plano dos dois é morarem lá.

Já estão compramos casa, preparando festa... e minha mãe deu uma surtada.
Começou a dar uma espécie de alergia nas pernas, uns calombos feios vermelhos, que deixam a perna inchada e dolorida e não passam, com nenhum remédio. Ela passou por 3 médicos e o diagnóstico foi o mesmo: doença psicossomática, sem causa física, só psicológica.
Mas ela não quer se tratar com terapia, psicólogo, nada...

E pq será que isso está acontecendo logo agora? Pq ela está "perdendo" o último filho solteiro e pior, vai pra outra cidade, longe dela... ela quer ir pra lá tb (ela é de lá, tem trocentos parentes, casas de aluguel por lá...) mas e a coragem de me deixar sozinha por aqui, ainda mais depois que tiver o tããããooo sonhado e aguardado netinho dela...

Vou ficar triste se ela for, lógico. Mas mais importante é a felicidade dela, então o que ela decidir, tá decido. Mas ela está perdidinha...

E nós tb pq não sabemos o que fazer para ela se sentir melhor?!


Tentamos faze-la distrair, sugerir novos hobbies, levar pra passeios, mas nada parece anima-la e como força-la a procurar ajuda médica?

Nossa dificil demais essa situação, essa sensação de impotência...


15 comentários:

  1. ô amiga, vocês dois já tentaram falar com ela juntos? Vocês 3?
    se isso é uma doença psicológica e ela não quer tratar, acho que a melhor forma é vcs trataram junto com ela, mostrar que estão ali sempre por perto, que ela é importante, enfim.
    bjos e espero que ela melhore logo!
    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Nossa lalah dificil mesmo! Ore em favor da sua mãe, peça a Deus que mostre a familia qual o melhor caminho a seguir e que coloque isso no coração da sua mãe.
    Melhoras a ela.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Minha mãe sofreu com isso qdo eu saí de casa.
    A solução foi visitar sempre, deixar ela me ajudar com algo da casa para se sentir útil e importante, mas ñ é fácil !!

    Tem que ter carinho e paciência nessa hora!!
    Boa sorte!

    beijos

    ResponderExcluir
  4. Oie, Lalah!! Leio seu blog a algum tempo mas acho que nunca comentei. Sou psicologa. O importante e ela sentir se acolhida mas tb compreender que os filhos almejam outros voos e lugares. Assim como um dia ela como filha o fez!! E isso nao seria sinonimo de abandono nem esquecimento. Que agora e o momento dela dedicar se a outros prazeres, sonhos, planos... Pos o de criar vcs ela ja concluiu c louvor!! Seria otimo se ela pudesse procurar um psicologo. Espero ter ajudado e desculpe o texto enorme.

    ResponderExcluir
  5. Ohhh...passei por isso com a minha sogra... Meu marido é filho único, e mudamos de cidade... estamos a 180km.... Ela foi bem tranquila enquanto estávamos nos preparativos.... Mas quando descobrimos que iriamos morar em outra cidade ela começou a surtar.... Primeiro começou a disser que ia ficar uma semana aqui com a gente e uma semana com o marido... dai eu expliquei que não seria possível, pois precisamos do nosso espaço para começar a nossa vida.... aí começou a síndrome.... Mas sempre íamos o fim de semana pra lá, conversávamos por skipe... e nada resolvia... até que um dia precisei voltar pra cidade pra terminar a faculdade... e precisei que ela cuidasse da nossa cachorrinha... e aí ela se curou da síndrome.... Elas precisam se sentir útil, precisam saber que a gente ainda vamos precisar delas.... Agora eu e o marido decidimos deixar a cachorrinha com ela... senão a síndrome volta... Ah...e minha sogra reconhece que ela estava sofrendo a sindrome... mas tbm não queria psicologo... e tava tomando remédio... mas hj ela percebe é que precisava de algo que requeria a atenção dela... e como eu sempre chamei a minha cachorrinha de filha...ela assumiu como papel de vó... e se sentiu útil...hehe
    Converse com sua mãe... faça ela se sentir importante a vocês.... isso tem cura... e logo passa..
    Bjks e desculpa o mega depoimento

    ResponderExcluir
  6. Poxa bem difícil mesmo, aqui em casa aconteceu a mesma coisa,eu e meus dois irmãos saímos de casa no mesmo ano, para morar com nossos companheiros (as), e ainda nesse mesmo ano, ela e meu pai se separaram...nossa foi um baque e tanto!
    Ela ficou depressiva, me ligava chorando, dizendo que estava se sentindo sozinha, etc...a solução foi MUITO amor da nossa parte,muitas visitas, e incentivar ela a sair com as amigas, dançar, comer fora,conhecer novas pessoas, etc, eu pensei que ela nunca superaria, mas ela foi forte e hj deu a volta por cima, casou novamente,entrou num emprego novo,sai pra passear sempre :)

    http://casoriofeitoamao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. O mais complicado é não conseguir com que procurem tratamento, a síndrome existe e a grau acentuado precisa ser tratada. Casei a quase três meses e, desde a época em que iniciei o mestrado e decidi me casar, sinto minha mãe cada vez mais triste e angustiada. A forma que ela encontra para demonstrar isso, pelo menos em relação a mim, é ser agressiva em alguns pontos, emburrando e deixando de falar comigo, isso tem me entristecido demais. O que posso fazer? O diálogo não funciona e ela sempre vê tudo pela pior ótica...

    ResponderExcluir
  8. Oi Lalah tudo bem?
    Bom, seu caso é bem parecido com o que eu tive. Minha sogra morava com o marido aqui no Rio, só os dois, sem família ou marido, quando casamos ela voltou para a cidade de origem, hoje um ano após o casamento ficou visível o quanto foi válido essa mudança pra ela. Resumindo, se mudar de cidade já era uma vontade antiga, que tenha mais benefícios do que ficar aonde ela está hoje, eu super apoio. Agora se ela quer se mudar com a intenção de somente ficar próxima ao seu irmão, sem nenhuma perspectiva de coisas para passar o tempo e se divertir, não a deixe ir de jeito nenhum; pensa no quanto seria ruim para ela e até mesmo o quanto poderia ser danoso para o casamento do seu irmão - ( falo isso pensando na sua cunhada, me colocando no lugar dela, mesmo sendo uma pessoa boa, nunca nunquinha ia querer a minha sogra tão próxima de mim, sem vida social e etc.). Espero que a minha experiencia te ajude um pouco. Ajuda ela a traçar metas, planos, para a vida e aos poucos ir acrescentando o tratamento médico. Bjos

    ResponderExcluir
  9. Lala, acho que todas passamos por algo parecido, minha mãe mora a poucos minutos a pé daqui de casa, mas ainda choramos de saudade uma da outra e nos falamos todos os dias, vamos ao mercado juntas, saímos para almoçar de vez em quando.
    Eu tive medo de mammy cair em depressão, visto que ela tem histórico de depressão pós parto da minha irmã caçula, mas graças a Deus ela está dando a volta por cima.
    Lógico que de vez em quando a gente dá uns mimos nas mães, assim elas percebem que ainda estamos por perto.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  10. Poxa que fase difícil heim Lalah, acredito que vou ter problemas com a minha sogra,ela tbm só tem dois filhos e a minha cunhada que morava do lado dela mudou esse ano e meu noivo vai sair de casa esse ano tbm, tudo bem que não é tão longe, mas é complicado...
    Melhoras para sua mamys, fique com Deus...

    Beijos
    Alane Araújo

    ResponderExcluir
  11. Aaai essa fase é complicada mesmo, tem gente que não acredita que isso existe, mas sempre ouço historias falando sobre essa situação.
    Melhoras p sua mãe, tomara que isso passe logo!
    ;)
    Beijo

    ResponderExcluir
  12. Imagino que deva mesmo ser muito difícil apra as "mães em tempo integral" essa saída dos filhos de casa. Como você falou, o melhor é a pessoa procurar outros objetivos, seja um Hobby, um trabalho voluntário, ou o que for. Mas se nem isso resolver o problema, acho que uma terapia pode ajudar muito nesse momento de transição. Bjos e boa sorte!

    ResponderExcluir
  13. Nossa amiga, complicado hein?! Minha mãe sofreu um pouco com isso quando eu vim morar em SP, ela é de Peruíbe para estudar, ela sabia que eu não iria mais voltar pq ia estudar, trabalhar, viver minha vida aqui... e logo dps a gente morava com a minha avó que veio falecer, então, ela ficou sozinha em Peruíbe. Foi bem complicado, eu era mto novinha 17 anos e não consegui dar mto suporte para ela, ela se tratou com psicologo, mas não foi fácil... aí ela arrumou um namorado, foram morar juntos e como a família dele é toda de lá, aos poucos as coisas foram melhorando e hj ela está bem, é difícil ficar longe dela, não poder ajudar tanto quanto eu gostaria. Infelizmente sua mãe precisa entender que ela precisa de ajuda e pelo que vc falou o melhor mesmo seria ela mudar para lá, pois teria outros familiares por perto, conversar é sempre o melhor remédio né? Boa sorte, espero que logo ela fique bem. Bjo!

    ResponderExcluir
  14. Nossa....que coincidência... há meia hora atrás eu estava consolando a minha mãe... ela estava chorando pq vou me casar em abril e ela diz que vai ficar sozinha... dá uma dó... me segurei pra não chorar junto. Ainda mais que meus irmãos já saíram de casa e fiquei por último. Pra piorar, ela tem relacionamento péssimo com meu pai...
    Fico preocupada... o segredo é dar bastante atenção depois que casar, eu acho.
    No caso do seu irmão que vai ficar distante, é ligar quase todo dia, pedir favores, fazer ela se sentir útil.
    O problema é que homem não tem tanto apego né... Quando arruma mulher/namorada não liga muito pra mãe não.
    Sabe o que ajuda? Acupuntura! Eu estava com um problema sério de estômago totalmente psicossomático por conta dos preparativos do casamento, estou no quarto mês de tratamento e melhorei muuuito!
    Quem sabe ela topa?
    Às vezes a pessoa tem resistência com psicólogo, sei lá por quê né. Seria ótimo. Bjo e boa sorte!

    ResponderExcluir
  15. Nossa Lalah nem imaginei que tinha isto, mas é complicado mesmo, porque por um lado sua mão vai casar o último filho, e ficar "sozinha", mas se ela mudar, vc que fica sozinha, acho que esta é uma decisão que só o tempo mesmo poderá ajuda-la, se ela for, só tente fazer com que ela não venda a casa, assim se ela quiser voltar tem onde ficar.

    Beijos

    ResponderExcluir

Deixem um comentário e façam uma blogueira feliz! :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...